Estude a Bíblia Comigo

Introdução da Epístola a Filemom

Esta epístola de Paulo ao seu amigo Filemom (vs. 1,17) ocupa um lugar único entre os escritos do Novo Testamento. É a carta paulina mais breve e, além do mais, a única de caráter absolutamente pessoal.
O apóstolo, já velho (v. 9), está preso em alguma prisão de Roma, Cesaréia ou Éfeso. Timóteo (v. 1) e outros colaboradores (23-24) se encontram ao seu lado, mas ele, pela delicadeza do assunto que vai tratar, prefere escrever de próprio punho (v. 19), ao invés de ditar a carta a algum amanuense.
O destinatário é um crente chamado Filemom, pessoa generosa e de boa posição social a quem Paulo mesmo, provavelmente, houvesse levado à fé em Jesus Cristo (v. 19). Das referências feitas a Arquipo (v. 2, cf. Cl 4.17) e a Onésimo (v. 10, cf. Cl 4.9), ambos relacionados com Filemom ou com a igreja que se reunia na sua casa (v. 2), se deduz que os três tinham a sua residência habitual em Colossos.

PROPóSITO
A razão imediata desta breve mas preciosa missiva surgiu no dia em que Onésimo se apresentou perante Paulo, provavelmente em busca de ajuda e proteção. A situação de Onésimo era muito delicada naquele momento, já que se tratava de um escravo fugido da casa do seu senhor, neste caso, Filemom. As leis da época, considerando delituoso o ato, o castigavam com enorme rigor, inclusive com a morte.
Não se sabem as razões da fuga de Onésimo (cf. v. 18). Em compensação, pode-se supor que conhecia pessoalmente o apóstolo, seguramente por tê-lo visto alguma vez na casa de Filemom. Isto explicaria o porquê de o escravo procurá-lo nas circunstâncias difíceis em que se encontrava.

CONTEúDO E ESTRUTURA
O relacionamento assim estabelecido entre Paulo preso e Onésimo fugitivo deu ao tema uma mudança radical ao converter-se o escravo à fé em Jesus Cristo (v. 10). E Paulo, o preso, tem que agora tratar o problema de Filemom da perspectiva insólita de que este, dono frustrado do escravo rebelde, deverá recebê-lo de novo na sua casa, e “não como escravo; antes... como irmão caríssimo,... quer na carne, quer no Senhor” (vs. 15-16).
Havendo o apóstolo resolvido que o mais indicado seria o retorno de Onésimo para junto do seu senhor legal, exorta este a acolhê-lo e destaca: “como se fosse a mim mesmo” (vs. 12,17). Dessa forma, força-os a um reencontro e põe-lhes à prova a fé.
Com a solução dada ao problema, Paulo, indiretamente, se pronuncia contra a escravidão, ao considerar o caso de Onésimo sob a perspectiva da lei do amor (cf. 2Co 10.3-5). Esta exige, em nome de Cristo Jesus, que sejam derrubadas todas as barreiras e apagadas todas as diferenças de classe, causa principal de injustiça, opressão e violência entre os seres humanos (cf. Gl 3.28).

DATA E LUGAR DE REDAçãO
A Epístola a Filemom (Fm) é outra das chamadas “epístolas da prisão” (ver a Introdução às Epístolas). Revela uma grande afinidade com Colossenses, o que sugere que foi escrita na mesma época. Embora não se possa precisar o lugar e nem a data da sua redação, tradicionalmente se considera que foi escrita em Roma, por volta do ano 61.

ESBOçO:
Prólogo (1-3)
1. A fé e o amor de Filemom (4-7)
2. Paulo intercede por Onésimo (8-22)
Epílogo (23-25)

ILUMINA

Nenhum comentário:

Postar um comentário